O caso dos Beagles

Vou falar neste texto sobre o caso do resgate dos Beagles, portanto, caso não saiba do que se trata, recomendo esta matéria da Folha para que você entenda melhor sobre o caso.

O resumo da história: O Instituto Royal é um laboratório para pesquisa e testes de substancias e produtos farmacêuticos. O instituto recebeu algumas denuncias de que estavam maltratando alguns animais, mais especificamente cães da raça Beagle, e que em alguns casos os cães eram sacrificados.

Muito bem, agora que tem a base dos acontecimentos, vamos aos fatos: é inacreditável o nível de idiotice que essas pessoas que se dizem ativistas podem atingir. Eu digo “se dizem ativistas” porque ativistas de verdade, que protestam e brigam por causas justas, realmente merecem todo o respeito do mundo… agora essas pessoas não. Acho até que deveriam ser comparadas aquele outro grupo dos “direitos humanos”, que lutam diariamente pro cara que estuprou a sua mulher não ser preso nunca!

Enfim, para se debater sobre o assunto, é necessário o mínimo de entendimento sobre a importância das pesquisas com animais… e pra te dar uma força vou deixar três vídeos com você de um verdadeiro cientista, que trabalha com isto diariamente, explicando a importância desta pesquisa (vídeo 1, adendo ao vídeo 1 e vídeo 2). Para complementar os vídeos, deixo com você também um documento (abra aqui) que fala sobre os aspectos éticos, jurídicos e metodológicos sobre a utilização de animais em experimentação.

Se você tiver preguiça de ver os três vídeos, ler o documento e pesquisar um pouco mais sobre o assunto, não tem o menor direito de comentar sobre o tema ou de falar que é a favor da causa, ok?

Fica bastante difícil comentar sobre algum tema com propriedade quando se tem informações tão incompletas ou quebradas. Alguns pontos importantes precisam ser levantados, como:

  1. Deve, obrigatoriamente, ser abordado o ponto do quão importante é este tipo de pesquisa. Não vou escrever mais detalhes sobre isto, basta você assistir os vídeos, ler o documento e pesquisar por conta para entender o quanto este tipo de prática é fundamental para que você mantenha o seu padrão de vida;
  2. Até o momento, não vimos nenhum tipo de racionalidade por parte dos “ativistas” neste caso. O que vimos foram decisões tomadas por impulso, que por sua vez, com certeza absoluta atrapalharam e muito qualquer tipo de investigação que provaria a veracidade das denúncias;

Quando eu digo que estes babacas atrapalharam a investigação, quero dizer o seguinte: o Instituto Royal recebeu diversas denúncias da mesma natureza, mas em diversos animais. As denúncias foram encaminhadas ao Ministério Público. Até aí está tudo perfeito! Se não fossem os ativistas de verdade denunciarem para os órgãos que podem tomar algum tipo de atitude, ninguém mais se preocuparia com isto e nenhuma atitude seria tomada. Aí é que entra o problema: a galera resolveu invadir o local para resgatar os beagles! Você pode acompanhar o passo a passo deste “resgate” aqui e aqui, e vai ver informações como “encontramos cães mutilados, cães mortos assim e assado, bla bla bla”. Por sinal, tem até uma montagem porquíssima rolando na internet de um desses cães sem olho… um photoshop bem mal feito por sinal. Então, até aí, não temos provas de nenhum destes relatos feitos pelos “ativistas”, correto? Para ilustrar melhor a situação, até agora, todas as fotos que tivemos na internet dos cachorrinhos, eram alguns muito bem tratados, bem alimentados e com cara de pânico (óbvio)!

Aí, você que realmente está antenado no caso,  vai falar que a Folha averiguou o local, encontrou tudo em ótimas condições mas que realmente encontraram alguns animais mortos. Novamente, volto a dizer que é inviável entrar na discussão da importância de tais pesquisas para uma série de fatores. O próprio instituto divulgou algumas notas informando que procuravam sempre reduzir ao máximo o número de sacrifícios realizados e que alguns dos cachorros eram enviados para a adoção. Naturalmente, não se deve mandar todos eles para adoção, afinal, dizendo de um forma bastante grosseira, eles eram cobaias de produtos químicos, e em algum momento eles precisam de cuidados especiais que somente laboratórios podem oferecer e você na sua casa não!

Voltando ao tema invasão, a partir do momento que estas pessoas invadem um ambiente totalmente controlado para “resgatar” os cachorrinhos, eles acabaram de estragar uma pesquisa em andamento. Algumas das desculpas foi que eles “ouviram cachorros chorando, que estavam sendo sacrificados como forma de queima de arquivo, para evitar provas”, e aí todos invadiram, e etc. No momento que acontece a invasão e tiram esses cachorros de lá, eles acabam de destruir qualquer prova contundente que existisse no local para que o Ministério Público pudesse tomar alguma ação. Existiu uma primeira perícia no local, mas não encontraram nenhuma prova (link da matéria aqui). Agora, depois desta invasão, com certeza não vai existir mais nenhuma prova, principalmente porque os invasores acabaram destruindo, mesmo que involuntariamente.

Toda a questão levantada nessa história toda é complexa, principalmente pela parcialidade de todos. A invasão que não deveria ter sido feita, as denuncias feitas por pessoas que muito provavelmente não tratam seus animais tão bem quanto os próprios laboratórios de pesquisa os tratam, pessoas que compram novos cachorrinhos ao invés de adotar… coisas que podemos classificar como falso moralismo. Vou exemplificar o que acabei de falar: o beagle é uma raça que não existia, ou seja, foi criada pelo homem, e sua principal função era rastrear os coelhos na hora da caça. De forma bastante engraçada, eles são considerados “ótimos cachorros para se ter em apartamento, pois são calmos e não muito grandes”. Repararam na ironia? Um cachorro que tem a caça na genética ter que ficar preso num apartamento só porque ele se tornou conveniente a este tipo de prática!

E para finalizar, vamos voltar ao fator falso moralismo, que aparece em muitos comentários de portais como “por que não testa com a sua mãe, por que isso, por que aquilo…”. Estes são argumentos completamente sem validade e feito por pessoas que não sabem o que falam. Eu provo isto dizendo que com certeza absoluta as ativistas que ajudaram a invadir usam algum tipo de produto de beleza, seja ele qual for. A triste notícia que vou dar para vocês é que existe uma Resolução do Ministério da Saúde que impede experimentação de medicamentos diretamente em humanos. Em termos leigos, isto quer dizer que se você usa qualquer um destes tipos de produto, é porque apoia indiretamente o uso de animais como cobaias, afinal, estes produtos precisam, obrigatoriamente serem testados! Depois, existem evoluções realmente sérias feitas a partir de pesquisas com animais, como um exoesqueleto que fará paraplégicos andar (matéria sobre o assunto aqui). Eu não sei você, mas já que existe este tipo de prática, eu prefiro ver um animalzinho sendo sacrificado em prol de uma evolução desta magnitude ao invés de ver um animalzinho sendo sacrificado só pra que saia uma nova coloração do seu batom favorito.

Anúncios

Participe! Deixe o seu comentário!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s